Máscaras são recomendadas, mas não obrigatórias.

Future City Lab: E se?

Questionando o que sabemos

Interdisciplinar

Nível de ensino: Todas
Palavras-chave: hipótese, síntese, perspectiva, estratégia, benefício
Imagem

Estimativa de tempo: 1 hora

Objetivos:

Os alunos irão:

  • pratique o pensamento crítico com base em questões do mundo real que a cidade de Nova York
  • pesar e avaliar estratégias e consequências

materiais:

  • Apresentação (fornecida)
  • Projetor conectado ao computador

Normas:

  • CCSS.ELA-LITERACY.CCRA.W.1: Escreva argumentos para apoiar reivindicações em uma análise de tópicos ou textos substantivos usando raciocínio válido e evidência relevante e suficiente.
  • CCSS.ELA-LITERACY.CCRA.SL.3: Avalie o ponto de vista, raciocínio e uso de evidências e retórica de um orador.
  • CCSS.ELA-LITERACY.CCRA.SL.4: Apresente informações, descobertas e evidências de apoio para que os ouvintes possam seguir a linha de raciocínio e a organização, desenvolvimento e estilo sejam adequados à tarefa, ao objetivo e ao público.

Questões Guia:

  1. Quais são os “tipos corretos” de perguntas a serem feitas quando se pensa em um problema?
  2. Quais problemas os nova-iorquinos enfrentam específicos para eles como residentes desta cidade e que abordagens podem ser usadas para resolvê-los?

    Procedimentos

    Esta lição é inspirada nas instruções do Museu. Laboratório da Cidade do Futuro, em que os visitantes são apresentados aos desafios enfrentados New York City e estratégias que podem ser usadas para resolvê-los. A tabela "What If?" Na entrada da galeria, que incentiva os visitantes a fazer perguntas ao Museu e uns aos outros, sinaliza a natureza interativa do Laboratório da Cidade do Futuro e incentiva os visitantes a pensarem em si mesmos como participantes em futuras soluções de problemas. As perguntas são revisadas pelo diretor do laboratório e os especialistas são convidados a responder às perguntas do público como parte de uma discussão em evolução.

    Esta lição pede aos alunos que revejam uma seleção de perguntas “What If?” Dos visitantes do Museu e depois desenvolvam as suas próprias como parte de uma estrutura de solução de problemas que incentive a especificidade e o pensamento crítico. (Nota: esta lição pode ser facilmente ampliada ou reduzida de acordo com o nível da série, a critério do professor.)

    Para mais sobre o Laboratório da Cidade do Futuro, Ver http://www.mcny.org/exhibitions/core/future-city.

    Faça o download da apresentação

  1. Etapa 1: Introdução (5 minutos)
  2. Use a apresentação para apresentar o conceito de uma pergunta “E se?” Para seus alunos. Você pode notar que uma pergunta "E se?" É como a hipótese de um cientista: algo a ser perguntado, testado e incorporado a uma explicação ou visão de mundo mais ampla.

  3. Etapa 2: discussão em grupo (30 minutos)
  4. Usando um projetor conectado ao computador, visite as Página de destino "What If?". O Museu adicionará mais opções a este site periodicamente, mas esta lição se concentra em duas: E se ... Os imigrantes parassem de vir para Nova York?E E se ... a cidade de Nova York dependesse de fontes de energia 100% renováveis?. (Observe que uma terceira pergunta - E se ... As escolas selecionaram seus alunos para refletir a diversidade racial e econômica da cidade? - também está disponível, mas pode ser considerado difícil para os alunos mais jovens. Os professores são incentivados a revisar todas as perguntas com antecedência.)

    Conduza os alunos através de cada série "What If?" (Certifique-se de clicar na página principal de cada pergunta para obter detalhes completos, incluindo as perguntas originais dos visitantes e as respostas dos especialistas). Observe que a questão principal é uma combinação ou síntese, de perguntas feitas por pelo menos três visitantes diferentes. (Observe também que você pode precisar definir problemas e termos de acordo com a nota e o nível de conhecimento da sua turma - escalar para cima ou para baixo na estrutura “What If?” E use apenas os exemplos que funcionam para a sua turma.)

    Para cada série "What If?", Execute as seguintes etapas:

    1.) Revise cada pergunta do visitante. Como eles são diferentes?

    2.) A maioria das perguntas "E se?" São feitas pelos visitantes, porque existe uma problema. Que problema está tentando resolver a pergunta "E se?"

    3.) O que sabemos sobre o estado atual desse problema na cidade de Nova York? Como podemos descobrir mais para que possamos ter mais conhecimento? (Nota: os alunos podem pesquisar qualquer um desses problemas como parte de uma atividade de extensão de turma.)

    4.) Revise cada resposta de especialista. Como está eles diferente? Existem pistas sobre o ponto de vista dessa pessoa? (Observe que a afiliação ou as credenciais de cada especialista estão listadas na parte superior de suas respostas.)

    5.) Qual resposta do especialista você acha mais convincente? Alguma das respostas mudou seu próprio pensamento sobre o assunto?

    6.) Podemos discutir a questão como um grupo e tentar pensar em mais resultados ("Então ...") do "E se?". O que mais precisamos saber para fazer isso?

  5. Etapa 3: Trabalho em pequenos grupos (10 minutos)
  6. Peça aos alunos que trabalhem em pequenos grupos para formular seus próprios “e se?” questões. Antes de começar, certifique-se de usar a apresentação para modelar perguntas eficazes e ineficazes. Incentive os alunos a serem específicos e a dividir grandes problemas em componentes menores e mais solucionáveis. Cada aluno pode fazer sua própria pergunta, usando o conselho e o feedback de seu grupo para aprimorar o texto e pensar nos resultados possíveis. Os alunos são convidados a considerar:

    1.) Que problema gostaria de resolver?

    2.) O que específico abordagem (ou estratégia) poderia ser usado para resolvê-lo?

    3.) Quais são os prováveis ​​benefícios da abordagem (os "profissionais")?

    4.) Quais são suas prováveis ​​desvantagens (os "contras")?

    5.) Dados os prós e os contras, é provável que o resultado geral seja bom ou ruim?

    Depois, peça aos alunos que escrevam suas próprias perguntas "E se? ... / Então ...". (Observe que os alunos mais novos podem criar propostas mais específicas pensando na pergunta como um "E se nós ..." em vez de um simples "E se ...")

  7. Etapa 4: Compartilhar e Conclusão (15 minutos)
  8. Peça aos alunos que compartilhem o possível “What Ifs?” E discuta-os em classe. Incentive os alunos a aprender mais sobre seus tópicos e a pensar e aprender sobre abordagens alternativas para resolver seu problema. (Os recursos úteis para esse tipo de trabalho variarão amplamente, considerando os problemas e soluções que os alunos identificam, mas se os alunos permanecerem focados em questões de planejamento urbano, o site da Associação de Planejamento Regional destaca os principais problemas e estratégias atualmente em debate.)

RECURSOS ADICIONAIS:

Jessica Lahey, "O que as crianças podem aprender com o planejamento urbano" Laboratório da Cidade, 4 de janeiro de 2017: https://www.citylab.com/life/2017/01/what-kids-can-learn-from-urban-planning/512183/

Viagens de campo: este conteúdo é inspirado no Laboratório da Cidade do Futuro galeria na principal exposição do Museu, Nova York no seu núcleo. Se possível, considere levar seus alunos em uma excursão! Visita http://mcny.org/education/field-trips para saber mais.

Agradecimentos

Esta série de planos de aula para Nova York no seu núcleo foi desenvolvido em conjunto com um grupo focal de professores de escolas públicas da cidade de Nova York: Joy Canning, Max Chomet, Vassili Frantzis, Jessica Lam, Patty Ng e Patricia Schultz.

Este projeto foi possibilitado em parte pelo Instituto de Serviços de Museus e Bibliotecas.

As opiniões, descobertas, conclusões ou recomendações expressas nessas lições não representam necessariamente as do Instituto de Serviços de Museus e Bibliotecas.